O Piolhito está [a lançar um passatempo]

Quando comecei a escrever este "bloguezito" pretendia apenas, deixar um testemunho para memória futura das minhas parvoíces e cenas relacionadas. Depois, "isto" começou a ganhar vida, e com isso, a mudar o rumo inicial do projecto. E assim, um blogue que começou em maio deste ano, com um ADN tipo Diário de Marilú, chegou a Dezembro com outras ideias e outros caminhos. E como andam sempre a perguntar-me "quando é que oferto alguma coisa", resolvi comemorar o facto do blogue ainda existir, conjugando-o com a quadra natalícia que por aí espreita, e mimar um feliz "Piolhiteano", com um exemplar do livro "Baile de Máscaras", de Lourenço Pereira Coutinho (antes que perguntem: é um romance histórico, com a acção a decorrer em 1805 - o resto pesquisem!).

O Piolhito esteve [a pesquisar prendas até cinco euros - Parte IV]

Há tradição maior no Natal, do que oferecer doces? Bolinhos, bolachas, bombons ou chocolates (até daqueles que o coelhinho, foi com o pai Natal, e o palhaço, no comboio ao circo)? Não? Claro que não! Até porque tudo o que é doce nunca amargou, e conquista-se mais facilmente um sorriso com assim do que outra maneira. Preparados? É que já se ouve músicas de Natal por todo o lado, e o momento da festa avança rapidamente. Ainda não sabe o que oferecer a algumas pessoas? Não se preocupe! Confira as sugestões açucaradas, na segunda parte desta publicação.  

O Piolhito foi [ao La Paparrucha]

Um dos meus restaurantes favoritos em Lisboa, chama-se La Paparrucha e fica localizado na zona do Príncipe Real. Portanto não é uma estreia, mas um vício. A cozinha é tendencialmente argentina (É! e ponto), destacando-se, como estrela da companhia, as carnes – que são excepcionais. Como se isso não fosse o bastante, a vista privilegiada sobre a cidade consegue arrebatar qualquer um. Mesmo aqueles que torcem o nariz aos preços ali praticados. Ah, mas é preciso ter um bocadinho de sorte para se conseguir um lugar bem perto da janela, mas fica aqui um truque: reservar com antecedência, especificar o lugar pretendido e evitar os dias mais agitados (como por exemplo; sextas-feiras e sábados).

O Piolhito está [a tentar perceber o artigo 13.º]

Afinal, o que é o artigo 13.º? Assim, de grosso modo, podemos dizer que se trata da maior reforma sobre os direitos de autor na União Europeia desde 2001, onde muitos conseguem observar uma espécie de censura a conteúdos. Por exemplo, plataformas como o Youtube ou o Facebook, podem passar a ter mecanismos automáticos para impedir a publicação de imagens, ou vídeos, protegidos por direitos de autor. É chato? É! Se é justo a malta ganhar dinheiro com conteúdos produzidos por terceiros? Não. E para quem já sofreu na pele (como eu) a censura do Facebook ou Instagram, porque o Piolhito não era real, sabe até que ponto poderá chegar o cumprimento cego das novas regras, mas isso também competirá a quem gere (e possui) essas plataformas encontrar mecanismos que limitem ao máximo, o erro. Se tem um custo associado? Tem. Mas durante anos a fio quando era só lucro, não verificávamos estas preocupações.
  

O Piolhito esteve na cozinha [a fazer cogumelos Portobello recheados]

Nem sempre a vida se rege pela gula, e portanto há que voltar a ter foco nos nossos objectivos, para a coisa não "descambar" de vez. Antes que chegue o fim-de-semana, o Natal e a Passagem de Ano, ou que a dieta da malta se descontrole (como o José Rodrigues dos Santos, quando apresenta os dados da dívida pública da República Portuguesa), trago-vos como sugestão: cogumelos Portobello recheados. A receita é genial, não só porque é low carbs (o que significa que dá para todos, porque quem não se encontra proibido de comer hidratos de carbono, pode sempre adicionar um acompanhamento à posteriori), mas também porque é fácil e saborosa. Vá, não torçam o nariz, e saltem de imediato para a segunda parte da publicação!

O Piolhito está [a pensar se pode sair de casa]

Já é seguro sair de casa? Já posso colocar o “pezinho” na rua, sem correr o risco de ser atropelado por uma multidão que vai na direcção de um qualquer produto com desconto, que ninguém sabe muito bem qual? Já acabou a febre de comprar pechinchas, que estavam mais baratas na semana passada? Já? Já? Já posso? É que já não há pachorra. 
 

O Piolhito fez [um roteiro de três dias para Atenas | com mapa]

O fascínio pelas civilizações do antigo Egipto, Grécia Antiga e Império Romano nasceu na escola preparatória. De lá para cá, sempre ficou nas minhas listas do “to do” viagens a estes universos mágicos, que testemunharam eventos marcantes que estudámos nas aulas de história – e mais tarde, no meu caso, nas aulas de história de arte, de arquitectura, de teoria e noutras tantas. Se digo que sou um bocado “medieval”, sem dúvida que sou muito egípcio, grego e romano. E tendo uma oportunidade de conhecer Atenas, não a desperdicei. E adorei! Não saí da grande metrópole para conhecer as redondezas (ficará para outra oportunidade), mas não fiquei com problemas de consciência. Foram 3 dias bem passados, cujo roteiro foi bastante similar àquele que aqui trago.