O Piolhito foi [ao Sushisan]

Primeiro devo esclarecer que gosto de sushi. Segundo (e talvez o pormenor mais importante deste introito) uso talheres quando o como. Sim, eu sou aquele cromo que deixou a nave espacial na reta de Coina, e que no restaurante é o único que não utiliza “pauzinhos”. Sim, não escondo essa condição, não procuro que a sociedade me aceite como sou e sinceramente isso não me tira o sono. Portanto, como diz o outro “badamerda”. Mas adiante.

De quando em vez, o meu metabolismo pede coisas especiais. Diferentes. Fora da rotina. Fora da Santíssima Trindade dos espinafres, arroz thai e peito de frango grelhado. E quando isso acontece, não tenho outro remédio a não ser satisfazer o que o corpinho pede (exige, vá). Uns dirão que são carências, outros desejos, e as más-línguas que estou grávido - embora aqui exista sempre uma impossibilidade genética, logo não vale a pena sequer formular esta hipótese.

Créditos: Piolhito Nervoso

No seguimento do explanado, e com o objetivo já delineado, desafiei alguns amigos meus para ir jantar fora. Das opções disponíveis (considerando o orçamento estimado, a distância a percorrer e o estacionamento), optámos pelo sushisan no Saldanha, e contrariamente ao que estava à espera, o local estava demasiado cheio para uma quinta-feira à noite. Ainda assim, conseguimos uma mesa aconchegante para quatro pessoas, junto à caixa registadora e ligeiramente na corrente de ar da porta de entrada.

Créditos: Piolhito Nervoso

Dizer que o serviço da sala é bom (ou mau), depende sempre de quem nos atende. Ou seja, por vezes temos uma má experiência e dizemos que o serviço foi mau, mesmo quando 99% de utilizadores afirma que é excelente, e vice-versa. Como em tudo na vida, a perceção que temos das coisas (e das pessoas), depende muito da nossa interação com elas. No presente caso, embora se possa afirmar, que numa primeira abordagem a “coisa” não correu assim tão bem, porque chamámos uma empregada que nos perguntou “se conhecíamos a casa”, e à nossa resposta negativa, ela desapareceu como por magia, a segunda tentativa correu bem melhor, não existindo nenhum reparo de maior a produzir neste ponto.

Créditos: Piolhito Nervoso

Mas adiante, vamos lá ao que interessa:

>> Do serviço disponível, à carta, ou rodízio gourmet, escolhemos este último, onde por 17,90€ (ao jantar e sem bebidas, café ou sobremesa) conseguimos apreciar uma quantidade considerável de sushi e sashimi, na condição de se poder repetir, continuar a comer sem restrição aparente ou pecar através da gula sem fim à vista. Pelo menos, no nosso caso, não houve nenhum problema nessa especificidade “contratual” e até tivemos que parar antes que provocássemos um bolçar coletivo ali no meio da sala.

>>De entrada comemos a já tradicional Miso Shiru (que me soube pela vida porque estava cheio de fome) e aqui não houve opção. Ou é, ou não é. Aliás, na modalidade selecionada (rodízio gourmet) não existe escolha possível. É trazer se faz favor, trazer se faz favor e trazer se faz favor.   

>> Depois, começou o festim. O drama (em bom). O horror (em muito bom). Sushi e sashimi por todo o lado (e sim, a minha pessoa continuava a utilizar talheres de metal), carregado de frescura, variedade e de excelente qualidade. Umas peças mais a gosto, outras a menos (aqui joga meramente a questão pessoal), mas tudo muito bem confecionado. Bom, já sei que os puristas me dirão que o verdadeiro sushi e sashimi blá blá blá, que a frutinha é para meninos, blá blá blá, mas olhem, a pureza já não dá cartas faz tempo, e eu de signo não sou virgem, sou gémeos.  


 
"Finalmente devo esclarecer que esta não é uma publicação comercial. Cada um pagou o que comeu e ninguém soube que estivemos por lá. Portanto, esta descrição é hiper, mega, ri-fixe isenta e baseia-se apenas nos factos vividos - e cada um vive os seus." 




Ficha técnica: 
Espaço/Ambiente: [meh] [não sei] [dá para o gasto] [bom] [genial] 
Serviço: [chamem a polícia] [ainda têm que aprender] [simpático] [bom] [excelente] 
Qualidade dos produtos: [de fugir] [escapa] [nham nham] [quero mais] [divinal] 
Preço: [€] [€€] [€€€] [€€€€] [€€€€€]
A voltar: [não] [talvez, mas não tão cedo] [a pensar nisso brevemente] [sim] [sim, oh sim] 

Saber mais: 
www.sushisan.pt


Sem comentários:

Enviar um comentário