O Piolhito esteve na cozinha [a fazer cogumelos Portobello recheados]

Nem sempre a vida se rege pela gula, e portanto há que voltar a ter foco nos nossos objectivos, para a coisa não "descambar" de vez. Antes que chegue o fim-de-semana, o Natal e a Passagem de Ano, ou que a dieta da malta se descontrole (como o José Rodrigues dos Santos, quando apresenta os dados da dívida pública da República Portuguesa), trago-vos como sugestão: cogumelos Portobello recheados. A receita é genial, não só porque é low carbs (o que significa que dá para todos, porque quem não se encontra proibido de comer hidratos de carbono, pode sempre adicionar um acompanhamento à posteriori), mas também porque é fácil e saborosa. Vá, não torçam o nariz, e saltem de imediato para a segunda parte da publicação!

O Piolhito está [a pensar se pode sair de casa]

Já é seguro sair de casa? Já posso colocar o “pezinho” na rua, sem correr o risco de ser atropelado por uma multidão que vai na direcção de um qualquer produto com desconto, que ninguém sabe muito bem qual? Já acabou a febre de comprar pechinchas, que estavam mais baratas na semana passada? Já? Já? Já posso? É que já não há pachorra. 
 

O Piolhito fez [um roteiro de três dias para Atenas | com mapa]

O fascínio pelas civilizações do antigo Egipto, Grécia Antiga e Império Romano nasceu na escola preparatória. De lá para cá, sempre ficou nas minhas listas do “to do” viagens a estes universos mágicos, que testemunharam eventos marcantes que estudámos nas aulas de história – e mais tarde, no meu caso, nas aulas de história de arte, de arquitectura, de teoria e noutras tantas. Se digo que sou um bocado “medieval”, sem dúvida que sou muito egípcio, grego e romano. E tendo uma oportunidade de conhecer Atenas, não a desperdicei. E adorei! Não saí da grande metrópole para conhecer as redondezas (ficará para outra oportunidade), mas não fiquei com problemas de consciência. Foram 3 dias bem passados, cujo roteiro foi bastante similar àquele que aqui trago.

O Piolhito foi [ao Ostras e Coisas]

Não fui de propósito à magnifica Cidade do Porto, para me enfiar num restaurante de marisco, mas aconteceu. Não só porque tive que fazer uma pausa técnica nas francesinhas (para não enjoar a iguaria), como diz que faz bem comer peixe. E se é para comer peixe fora de casa, que seja marisco, porque pescada cozida com espinafres ninguém merece. Mas isso são contas de outro rosário. Outros queixumes. Outras coisas. Ostras & Coisas, para ser exacto.

O Piolhito esteve [a pesquisar prendas até cinco euros - Parte III]

Não, não vamos falar da saga do "Regresso ao Futuro". Só para relembrar que estamos quase naquela época em que decorrem os jantares de empresa, dos amigos, dos colegas (faculdade, do ginásio, do clube do livro e etc), dos solteiros que odeiam o natal mas fingem adorar por causa dos engates, dos casados que vão a estes jantares só para não estar em casa, daqueles que fazem um frete para só para mostrarem que são sociais e de todos aqueles que não têm tomates (ou alfaces) para dizer "não" ao amigo secreto. Jovem, se és um desses casos, não te atormentes mais! Trago mais ideias, até cinco euros, de coisinhas que podes oferecer e/ou trocar! Cum'caneca! É de serviço público este blogue! É ou não é?

O Piolhito esteve na cozinha [a fazer pizza]

E se disser que esta receita é low carbs, que é uma pizza que se pode comer sem culpa (moderadamente, ok?) e que é bastante proteica ? Não acreditam? Não? De certeza? Já sabem que a vida não pode ser só Gula... portanto há que ter uma dieta equilibrada para garantir uns pequenos pecados capitais. A receita da massa é da Healthy Bites e estive ontem na cozinha a preparar para o meu almoço de hoje. E sim, já provei e está óptima! E não, o recheio foi feito a meu gosto, portanto vamos só aprender a fazer a massa - "desenrascarem-se" no resto se faz favor.

O Piolhito tem [parceria com a SprezzaBox]

Gosto de ideias originais. De presentes originais. De negócios originais e por isso quis associar-me à Sprezza Box. É que nem tive dúvidas ou incertezas. E para quem gosta de pormenores e de mudar todos os dias qualquer coisa na sua aparência, esta é uma ideia a considerar. Para quem não sabe o que oferecer e anda sempre na indecisão, esta pode ser uma alternativa. Até porque toda a gente gosta de receber coisas giras, diferentes e de uma forma surpreendente. Nem que o destinatário final, seja somente a nossa pessoa. Como funciona? Continuem a ler e já vão perceber tudo!
 

O Piolhito informa [que a H&M e a Moschino vão lançar colecção]

“Não gostei de nada” – foi a resposta que recebi, quando enviei a hiperligação da colecção, resultante da parceira entre a Moschino e a H&M. De facto, o gosto de cada um, esbarra (quase) sempre no editorial da moda ditada pelos especialistas. Também não deixa de ser verdade, que a “alta costura” não se coaduna com a bolsa da maioria, sendo que um dos pressupostos da H&M, nesta colaboração com as marcas de luxo, é tentar democratizar um pouco o acesso a produtos que normalmente não estariam no horizonte, ou na perspectiva, do comum dos mortais. Por exemplo, adquirir uma t-shirt no site da Moschino pode ter um custo associado de 180€, e através da coleção feita para a H&M, pode-se encontrar algo semelhante por 24.99€. Já dá para ver a diferença.

O Piolhito esteve [a pesquisar guarda-chuvas]

Uma pessoa fica sem o seu guarda-chuva de estimação em junho, por causa do vento, e pensa “só vou gastar dinheiro noutra coisa do género, quando começar a chover”. E choveu. Ao décimo quinto dia do mês de outubro, deste maravilho ano, caíram umas gotas e alguém pensa "é passageiro". Mas ao quinto dia do mês de novembro voltaram a cair mais uns pingos. E quem foi o inteligente-mais-lindo-fofo-e-divertido, que apanhou uma “molha”? Não quero dizer quem foi, apenas posso dizer que foi um conhecido, amigo de um amigo, de uma amiga, de um amigo, de um casal amigo, de um amigo meu. Confuso? Bom, isso agora não interessa nada.  

O Piolhito foi [ao Bastardo]


Aproveitando a promoção avançada pelo The Fork (que uso bastante, porque me permite fazer reservas sem ter que ligar e ficar horas infinitas em espera para que me atendam), rumei ao restaurante Bastardo com a condição de obter um desconto de 50% sobre a ementa, excluindo as bebidas. Só por ler os diferentes comentários no site, fiquei entusiasmado, e ao ver as imagens, salivei vezes sem fim, mas como tudo na vida, gosto de ter as minhas experiências e as minhas opiniões próprias bem fundamentadas. Ou seja, não tive outra alternativa do que aferir in loco a matéria. E como escrevia Beatriz Costa nas suas memórias: “isto não é como em Montachique, onde cada um mija com a sua?”.