O Piolhito está [a tentar desejar um excelente vinte-vinte]


Já diziam os nossos antepassados, que ano novo, vida nova, e apesar de estarmos apenas a passar de um dia para o outro, a barreira psicológica de deixar uma etapa para entrar num novo ciclo, empurra-nos para novas resoluções, novos objectivos e novas estratégias, que nos ajudem a crescer enquanto pessoas, provocando momentos de felicidade na nossa vida. Portanto, é neste período que ocorrem definições de todo o tipo e feitio, surgem as promessas de regressar aos treinos, de mudar de emprego, de querer ser mais e melhor, de deixar de complicar e viver mais intensamente, de tudo e mais alguma coisa, que demonstre ao mundo a nossa evidente mudança. Nestas alturas fazemos balanços, vemos o que ganhámos e perdemos, e pensamos em como poderemos corrigir certos acidentes de percurso, que nos desviaram de caminhos previamente traçados. No fundo, queremos demonstrar que nada é estanque e qualquer coisa poderá ser alterada.