O Piolhito fez [um roteiro de x ou y dias para Míconos | com mapa]

Poderia dizer-vos que bastam x ou y dias para visitar/estar em Míconos, mas deixo isso ao critério de cada um. Aliás, quem vai para esta ilha tem de pensar em alguma (ou muita) diversão, praia, calor e deixar de lado um certo turismo mais cultural – até porque não tem muito para ver neste campo. Assim, decidi dividir esta publicação em duas partes.  Ou seja, para o dia x reservei algumas dicas mais para passeio, e para o dia y, alguma praia, significando isso que podem fazer o que quiserem desde o primeiro dia da vossa estadia até ao último. Haverá programa mais versátil que este? 

A ilha de Míconos pertence ao arquipélago das Cíclades, no mar Egeu, a sua capital tem a denominação de Chora e corresponde ao local mais urbano da ilha. Se escolheram este destino para as vossas férias, a pensar que vão encontrar o ambiente do Mamma Mia, esqueçam! É uma ilha ventosa, com pouca vegetação (a que existe é muito rasteira), cheia de granito por todos os lados, onde predominam os tons castanhos da paisagem e a cor branca das casas. É um local, um quanto ao quanto árido, mas com uma água azul fantástica! E não pensem que vão encontrar uma água algo cálida para os banhos de mar, até porque vão ter uma desilusão - e das grandes. Mas no final de tudo… VÃO ADORAR!  


|Mapa com legenda para download aqui e impressão em folha formato A3 |13 MB |

Dia X
[1.] Chora 
[1.1.] Moinhos de Vento de Chora
[1.2.] Litle Venice
[1.3.] Baía
[1.4.] Centro
[1.5.] Moinho de Vento Boni


[1] Chora 

Aqui, no principal aglomerado urbano da zona, encontramos a maioria dos pontos turísticos construídos. Cada rua e ruela são características de uma de arquitectura grega insular e vale a pena percorrer o máximo que se conseguir.




[1.1.] Moinhos de Chora

São a imagem mais icónica da ilha, e, portanto, não é de admirar que ilustrem todo e qualquer postal. Actualmente já não são usados na sua função original, mas foram durante muito tempo, a principal fonte de receita dos locais. Moeram trigo até o final do século XX. 




[1.2.] Litle Venice

Denominada por Litle Venice, por fazer lembrar Veneza, Alefkandra (o nome verdadeiro da zona), é um conjunto de pequenas casas de dois andares, construídas à beira mar, de características muito peculiares com varandas e varandins suportados em estacas de madeira. Para quem já esteve na cidade italiana (ou tenha observado fotografias), reconhece de imediato o paralelismo. Estes edifícios foram construídos no século XVIII, e apoiavam o comércio marítimo que proliferava nesta zona – eram a morada de muitos comerciantes e capitães de navios.




[1.3.] Baía

Nesta zona, podemos ter um enquadramento de toda a localidade com o mar, numa baía rodeada de restaurantes simpáticos e esplanadas muito convidativas.
  


[1.4.] Centro

A ideia aqui é calcorrear todo o centro da vila e tirar fotografias a tudo o que se mexe e o que não se mexe. Todas as ruas dão bons cenários, todos os edifícios permitem excelentes enquadramentos e a presença de buganvílias dá aquele toque final para as redes sociais. Permitam-se perder por aqui sem olhar muito para o relógio. Parem numa esplanada e bebam qualquer coisa para recuperar as energias. Não se esqueçam que esta zona é fantástica para sessões fotográficas. Aliás, como cheguei a dizer “aqui até um péssimo fotógrafo, acerta na cena”.  






[1.5.] Moinho de Vento Boni

Esta é A DICA! Não tem tantos turistas como os moinhos junto ao mar, conseguimos estar sossegados a tirar fotografias e se formos ao final do dia, ainda conseguimos observar um pôr-do-sol magnífico.  



Dia Y
[2.] Elia
[3.] Super Paradise


[2.] Elia

Uma das melhores (e maiores) praias da ilha, cheia de areia dourada (e espaço!). O mar presenteia-nos com água muito azul e transparente, criando cenários paradisíacos quando se funde com o areal e as dunas. Uma dica importante: o uso de espreguiçadeiras é bastante usual, e para se conquistar um lugar mais à beira de água, e ter algum conforto de não andar quilómetros na areia quente, o ideal é alugar uma.   




[3.] Super Paradise

Outra praia espectacular, onde fica o famoso Jackie’O, que ao final do dia tem sempre festa.  



[4.] Outras praias

De facto, não faltam mais opções, de praias mais pequenas e mais ou menos desertas, portanto é explorar, explorar e explorar. Também não se pode deixar de fora as praias de Kalafatis (essa sim, com vegetação no areal), Kalo Livadi ou Agrari.


Dica final: fotografar o pôr-do-sol, pela ilha, de todas as formas e feitios. Vale muito a pena.



>>Como ir:
Existem duas possibilidades. A primeira, de avião, com voos directos de Atenas (por exemplo, pela companhia de baixo-custo Volotea – com alguma sorte conseguem-se preços simpáticos) ou de Londres, Nápoles ou Paris pela Easyjet. De barco também é uma solução viável, existindo imensa oferta entre as diversas ilhas e a parte continental grega. Pessoalmente já utilizei as duas formas, sendo que a primeira é naturalmente mais rápida (não se assustem com o mini-aeroporto da ilha) e a segunda permite ir tirando fotografias nas diversas escalas (ilhas) e usufruir da paisagem.

>>Onde ficar:
No centro da ilha, obviamente. O alojamento não é barato (preparem o mealheiro) e têm que ir mentalizados para arranjar um transporte que permita ir às diversas praias da ilha. Eu aluguei um carro, mas a opção mais popular são as motas (“scooters”).  

>>Onde comer: 
Fiquei num apartamento, com um terraço fantástico para a Vila (onde bebia mojitos a assistir ao pôr-do-sol) e assim, refeições em restaurantes foram muito poucas. Mas no centro há de tudo um pouco, e de todas as cozinhas (e paladares). Sugiro o “Captain's - Food forSharing”. Aqui, podemos pedir vários pratos para partilhar e provar diversas componentes da gastronomia grega.

>>Onde sair: 
Míconos é a ilha da diversão. Logo, não faltam diversas festas, bares e esplanadas. Para todos os gostos e feitios. Basta estar atento à programação sazonal.   

>>Mais dias em Míconos:
O objectivo deverá ser sempre descanso, praia e descanso. A ilha é pequena, portanto mais dias só mesmo nesta linha de pensamento. Página oficia da ilha aqui para mais informações.


Sem comentários:

Enviar um comentário